Pesquisar neste blog

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Quando as Almas se Tocarem


Quando as almas se tocarem,
Mesmo que os corpos não,
Mesmo que nem se vejam,
Separados no espaço imenso,

Quando as almas se tocarem,
E em conjunto vibrarem,
Porque dentro e acima delas
Cresce a força da união,

Quando isso acontecer
E então os olhos se encontrarem
Um calafrio há de percorrer as almas
Apenas por se reconhecerem...

Mas se a pele roçar a outra,
Se um tocar de mãos houver,
As almas extasiadas,
Não caberão nos corpos,
Não caberão em nada
E se entrelaçarão.

Então, se existir um afago
Vindo de dentro do coração,
Um abraço afetuoso,
E um sorriso que brota d’alma
Os lábios hão de encontrar o caminho
Do êxtase, da comunhão..

E com as almas entrelaçadas,
- Somente com as almas de amor tomadas
- Se assim os corpos se tocarem
E depois se entrelaçarem
Estreitando a união:
Esta união não será de carne,
E Não será deste mundo:
Será de outra dimensão.

Gilberto de Almeida
05/04/2012

2 comentários:

  1. Lindo demais, profundo, perfeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Anônimo. Algumas vezes a gente encontra as palavras para dizer aquilo que realmente quer dizer. Dessa vez, acho que isso aconteceu.

      Excluir