Pesquisar neste blog

domingo, 30 de junho de 2019

Rima rica


A rima rica é a a rima predileta,
de que se vale o artista, que a garante
em desatacado posto em sua estante,
espécie de santuário do poeta.

É a rima que se basta e se completa
qual fosse de ouro puro e cintilante.
Segura, suficiente, e, enfim, bastante
competente, é a rima lúcida e correta.

Mas há um questionamento impertinente:
- em tanta aclamação não haveria
um certo comodismo, que consente

 usar de rima rica, mas vazia?
Não fugirá, o poeta, a mais pungente
composição por falta de ousadia?

Gilberto de Almeida
30/06/2019

Rima pobre


Nem sempre a rima pobre torna inválido
o esforço caprichoso que a recolhe
do abrigo do vernáculo, algo cálido,
que a todo verbo abriga e à rima acolhe.

Por certo, vara a noite e, ao dia, pálido,
ainda busca a rima, e a língua tolhe,
nas muitas tentativas, quando, esquálido,
desiste, entorpecido e, exausto, escolhe.

Parece anemiado ou hemofílico
e sente-se covarde, de alma dobre.
Nem mesmo retirado, em mundo etílico,

consegue completar-se o esforço nobre.
É assim que do ideal, formoso e idílico,
germina, finalmente, a rima pobre.

Gilberto de Almeida
29/06/2019


sábado, 29 de junho de 2019

Rima imperfeita



Há certo encantamento que assinala
o verso cuja rima, se imperfeita,
de doce suavidade lhe permeia
as dobras do compasso em que se pauta.

É como o som mirífico de harpa
tecendo gentilmente uma resenha
de luzes em vestido de princesa.
É traço despojado que realça.

É como se a brandura dessa rima
criasse a seu redor, hialina orla;
é como se, enfrentando a disciplina

com tanta ingenuidade, qual quem ora 
tornasse mais poética e festiva
que a regra, a poesia, que é o que importa.

Gilberto de Almeida
29/06/2019

O sol, brando e vago


O sol, brando e vago,
derrama tépida chama
nas águas do lago.

Gilberto de Almeida
29/06/2019


sexta-feira, 28 de junho de 2019

Vencendo o mundo


Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; 
no mundo tereis aflições, 
mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.
(Jesus. João 16:33)

O espírito álacre e valente
de passo, embora, vacilante,
da vida, não se desencante,
no sofrimento que o atormente.

Lembremos, antes, d'O Inocente,
Divino Mestre e Governante,
em seu calvário cruciante,
vencendo a dor, doce e clemente.

Pois entregou-nos Sua paz
e nos conclama a unir ao Seu
nosso labor, heroico e audaz,

e a, então, vencer - nosso apogeu!
 - de gênio firme e pertinaz,
o mesmo mundo que venceu.

Gilberto de Almeida
28/06/2019

A oração é telefone


A oração é telefone
sideral que comunica,
todo aquele a quem a acione,
a esperança nobre e rica,

aos portais que provisione
Deus, o Eterno que edifica;
verdadeiro megafone
que recebe e que amplifica!

E dos pórticos da prece
quem se vale e busca os seus
beneplácitos conhece

dulçorosos jubileus.
Prontamente estabelece
relação de amor com Deus.

Gilberto de Almeida
28/06/2017


terça-feira, 25 de junho de 2019

Escola do futuro


A sociedade há tempos nos ensina,
na escola, à juventude, o que acredita
ser base incontestável da doutrina
que forma a mente prática e erudita. 

Mas esse entendimento, que domina,
produz somente a pródiga e irrestrita
mentalidade egoísta e pequenina
que agrava a dor do mundo em que se agita.

É hora de ensinarmos mais que fatos,
teorias e equações em profusão.
Se ousarmos cultivar os dons inatos

do amor e do respeito, surgirão
no mundo do futuro, mais exatos
modelos do homem justo e cidadão.

Gilberto de Almeida
25/06/2019

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Erva daninha


No chão de grama
a erva daninha reclama
espaço. E dana.

Mas se ela teima
o bom jardineiro é o primeiro
que corta. E queima.

Gilberto de Almeida
24/06/2019

Dúlcida voz


Poema pentavocálico - X

Quem hoje tem paz,
é que ontem já fez
aquilo que diz
a dúlcida voz
do mestre Jesus.

Gilberto de Almeida
24/06/2019


Modelo de esperança


O educandário do universo nos fornece
modelo raro de esperança e aceitação.
Pois, quando à noite, o sol se põe, qual se morresse,
no firmamento, logo estrelas surgirão.

Depois o céu parece ouvir contida prece
e a lua surge, e traz mais luz... É quando, então
vivo e gigante, ao vir do dia, que amanhece,
o sol resplende, em magistral ressurreição.

E quanto auxílio este modelo de esperança
oferta ao ser em sofrimento, quando alcança
o coração desesperado, em dor malsã.

Pois quando o homem, fustigado pela vida
dela se esconde, em noite densa e ressentida,
sempre é possível ressurgir pela manhã.

Gilberto de Almeida
24/06/2019



sábado, 22 de junho de 2019

Fio condutor


O Amor de Deus socorre a criatura
por meio de outro ser, do qual se vale.
E sempre que a tormenta se assinale
na trilha de quem busca a própria cura,

do Alto, a Força Eterna que Fulgura
encontra, prontamente, alguém que fale
o idioma do Infinito, o que equivale
a um transdutor de luz e de ternura.

Mas, antes de atingir a quem carece
de auxílio fraternal e redentor,
assim como a energia, ativa, aquece

primeiro o filamento condutor,
aquele que seu préstimo oferece
recebe a bendição do Eterno Amor.

Gilberto de Almeida
22/06/2019

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Alegria de servir


Adormecida no total desinteresse
de alteamento das grandezas do porvir,
a humanidade em que vivemos desconhece
as cariciosas alegrias de servir.

Interessada no deslize que acontece,
intransigente no cobrar e no pedir,
critica sempre, destruindo a própria messe;
sufoca o campo que haveria de fruir.

E tão mais suave, qual tranquilo devaneio,
seria a vida, se ao invés de decompor
sua existência em anacrônico esperneio,

cada pessoa, num alento inspirador,
aliviasse de exigências o ombro alheio
e, a quem carece, oferecesse o seu amor.

Gilberto de Almeida
19/06/2019


sexta-feira, 14 de junho de 2019

O socorro do amor


Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; 
porque o amor cobrirá a multidão de pecados.
(1 Pedro, 4:8)

Em Deus, somente em Deus, está o asilo
de que carece o homem, perturbado.
Mas Deus é amor, e o amor, então, é o estado
de quem já vive em paz, pleno e tranquilo.

Porém, de falta, equívoco e vacilo,
nosso caminho egoísta é pontilhado. 
E o amor de Deus, assim, é como o arado
que equipa o ser a fim de redimi-lo.

Por isso, por podermos recompor
os rumos dos mais áridos destinos
nos disse, iluminado e inspirador,

o apóstolo, nos versos cristalinos,
que a força sutilíssima do amor
suplanta a multidão dos desatinos.

Gilberto de Almeida
14/06/2019

terça-feira, 11 de junho de 2019

Hormese


Poema pentavocálico - IX

Quem busca entendimento em reta base
e estuda a homeopatia e entende a hormese,
conclui, em cada fato que analise,
que está na redução gradual da dose
a escrupulosa cura que se acuse.

Gilberto de Almeida
11/06/2019


Haicai e flores - LIII


É hora de um pacto:
é dia de alegoria
nas flores do cacto!

Gilberto de Almeida
11/06/2019

Ensinar


Poema Pentavocálico - VIII

Aquele que quer ensinar
a quem não deseja aprender
é como que instado brandir,
se não o Martelo de Thor,
ao menos uma Excalibur.

Gilberto de Almeida
11/06/2019

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Mitologia doméstica


Na mitologia doméstica
eu não sei bem o que é pior:
a eterna lembrança de Apolo;
o olhar compassivo de Thor.

Gilberto de Almeida
10/06/2019


domingo, 9 de junho de 2019

Poema para quem não foi


Ninguém se vai de verdade.
Do coração de quem ama,
ninguém sai.

Na eternidade,
a união.

Gilberto de Almeida
09/06/2019

sábado, 8 de junho de 2019

Escalada


Todo dia
a escalada
desafia
declarada.

Rebeldia
nessa estrada
serviria
pouco ou nada.

Tudo bem, [se o]
cume é mito!
No silêncio,

se medito,
me convence o
Infinito.

Gilberto de Almeida
08/06/2019


sexta-feira, 7 de junho de 2019

Ocidental praia brasiliana


Poema pentavocálico - VII

As damas e os varões assinalados,
de todas as políticas e credos,
nos autos ricamente redigidos,
chamados a aclarar estranhos modos,
se não falaram mal, ficaram mudos.

Gilberto de Almeida
04/06/2019

A moça ingrata



Poema pentavocálico - VI

A moça ingrata
vai pela greta.
Mas quando grita
(pois cai na grota!)
já sai da gruta!

Gilberto de Almeida
04/06/2019


Trovas da vida - XLVIII


Que te importa a escolha alheia
na insanidade ao redor?
Acerta na própria escolha
a faz o mundo melhor!

Gilberto de Almeida
07/06/2019


quinta-feira, 6 de junho de 2019

O amparo imprescindível


O amparo imprescindível a qualquer cometimento;
nas dores da existência, o indispensável lenitivo
vêm sempre de mais Alto, vêm do Eterno Compassivo,
que ao nosso apelo atende em zeloso acolhimento.

Nas dores mais atrozes, no episódio turbulento,
na prova inexorável, no pesar superlativo
é Deus, é sempre Deus, quem oferece o curativo.
a força da esperança, do consolo e o lenimento.

Mas não é por inércia, sem amor, que Deus procura
em nossos corações, quando oferece-nos a cura.
Espera que a pessoa, se precisa de acolhida,

estenda as mãos fraternas a outra ainda mais sofrida.
Daquele que, amoroso, enxuga as lágrimas de alguém,
o Pai, benevolente, enxuga as lágrimas também.

Gilberto de Almeida
06/06/2019

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Trovas da vida - XLVII


Repara na fé, que apura
o magnetismo invisível:
 é daí que surge a cura,
onde a cura era impossível.

Gilberto de Almeida
05/06/2019

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Trovas da vida - XLVI


A ideia preconcebida
é artifício natural
da ignorância ressentida
que, no bem, destaca o mal.

Gilberto de Almeida
03/06/2019


sábado, 1 de junho de 2019

Na dor do combate


Poema pentavocálico - V

Na dor do combate
há alguém que compete,
há alguém sem limite,
há alguém que derrote,
há alguém que se enlute.

Gilberto de Almeida
01/06/2019

Trovas da vida - XLV


Jesus não veio cumprir
letra morta e corrompida.
Dedicou-se à Lei do Amor
no exemplo da própria vida.

Gilberto de Almeida
01/06/2019