Pesquisar neste blog

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Compromisso

 
 
No mundo, em rudes camadas,
deixei pra trás essas lou-
cas faltas assinaladas
que o vento testemunhou.
 
Algumas dessas pegadas
o mar das vidas revol-
to - oh! ego - o mar em que nadas,
- bem dito seja - apagou!
 
Agora um anjo (eu mereço?)
implora por que eu avance;
por isso, humilde agradeço.

Não deixarei pra amanhã, se
a benção do recomeço
me é dada, em mais esta chance!
 
Gilberto de Almeida
19/10/2012
 

2 comentários:

  1. Recomeçar. Sempre. Quanto maior é a queda, mais rápido deve ser o recomeço.
    Muito belos, os seus versos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, sempre, Dulce. Você é sempre gentil. E eu sempre recomeçando, até nos poemas. rs.

      Excluir