Pesquisar neste blog

sexta-feira, 22 de março de 2013

Teu verso













Tentei um dia ler teu verso,
meu Deus, aquele que o poeta
procura atento no universo
em busca íntima e secreta.

Busquei; não li; porque, disperso,
perdi-me em pródiga e indireta
procura vã que, insano e imerso,
nada revela, nem completa!

Mas quando, firme e confiante,
deixei as causas mais mesquinhas,
então vi claro - nesse instante!

- no céu noturno, que tu tinhas
na via láctea cintilante
escrito e li... nas estrelinhas...

Gilberto de Almeida
22/03/2013



4 comentários:

  1. Só nas entrelinhas se consegue ler, não é, Gilberto!
    Muito belos, estes versos.

    => Crazy 40 Blog
    => MeNiNoSeMJuIz®
    => Pense fora da caixa

    ResponderExcluir
  2. Na verdade o poema é falso, Dulce! Ainda estou procurando...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O caminho é a viagem, Gilberto.
      Todos nós procuramos, mas na realidade é Ele que nos encontra...

      Excluir
    2. Verdade, Dulce. A busca é eterna. E Ele um dia acaba nos encontrando! Gostei dessa idéia!

      Excluir