Pesquisar neste blog

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Sabiá



Ah! Sabiá...
Sabiá, sabiá, como eu queria
ser como você!

Você no meio fio,
enquanto a vida dos outros 
passa apressada
e a sua ainda
nem começou...

Você que nem nasceu ainda
e não cometeu erros,
só viveu!

Você que pode, sabiá,
- veja bem, porque esse é um conselho que lhe dou; 
um conselho de quem não pode
e de quem não sabe,
mas se atreve -

você que pode, sabiá,
quando nascer pela primeira vez,
suba ao céu em linha reta,
sem parar em parte alguma:

- não descanse no poleiro
da ilusão;
negue-se a si mesmo a desventura de pousar no lodo
do egoísmo;
Esqueça o repouso passageiro 
no galho da árvore venenosa
do orgulho;

mas antes de tudo isso,
porque você pode, sabiá,
quando nascer pela primeira vez,
estenda as mãos
- que terá! -
aos corações necessitados e viva
em comunhão com o céu que te espera!

Se digo isso, é porque já não posso;
já trago as cicatrizes de quem
descansou
e pousou
e repousou
e não estendeu
e não viveu!

Você que pode,
siga direto!
Nem pare para me dizer olá,
que eu, daqui, que não posso,
tentarei ser sabiá!

Gilberto de Almeida
07/11/2014


4 comentários:

  1. Que conselho iluminado, cheio de sabedoria!!
    Parabéns a você, que tentar ser Sabiá!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem dera poder começar de novo, sem errar desta vez! ;)

      Excluir
  2. Ser Sabiá e ser livre e destistuido dos males que aflinge o ser Humano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado por comentar, amigo. Na simplicidade da sua frase, a sabedoria que impulsiona. :D. Obrigado!

      Excluir