Pesquisar neste blog

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Claridade anunciada


Por entre escuras nuvens
a lua enorme anuncia
claridades que virão.

E nesses dias, a luz,
como foi há dois mil anos,
virá da mesma fonte,
atravessará as sombras da nossa própria ignorância,
e será natal novamente...

Mas, desta vez, a manjedoura
será nosso planeta.
Desta vez, o rebento
será a humanidade inteira,
mais amorosa,
mais compassiva,
mais humilde.

Depois da escuridão será Sol,
o mesmo que nos ampara
há muito mais de dois mil anos.

Gilberto de Almeida
14/11/2016


2 comentários:

  1. Gilberto, meu querido amigo, quanta sensibilidade! Estou encantada com mais esse poema de sua autoria. É lindissimo! Uma mensagem de Natal como poucas... Me emocionei, de verdade! Parabéns! Se resolver lançar um livro, estarei na fila de autógrafos, com certeza! Bom feriado! Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariô. Que bom saber que você gostou assim. Fico muito feliz. Beijo.

      Excluir