Pesquisar neste blog

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Natal sem sede


O natal contemporâneo,
por mais materialista que seja,
por mais distraído de sua origem,
é um treinamento de doar
e de servir.

Ensaiamos passos tímidos,
nessa escola de amor.

Nem sempre damos
com desinteresse.
Nem sempre servimos
com entrega.

Mas, natal trás natal,
ano trás ano,
experiência trás virtude.

E vamos guardando na memória da alma
um sentimento de felicidade
ligado ao ato de doar
e de servir.

Bendito será o natal
em que a felicidade de doar
e de servir
será como água viva em nosso espírito.

Nesse natal
ninguém mais terá sede.

Gilberto de Almeida
18/11/2016


2 comentários: