Pesquisar neste blog

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Trissoneto


Trissoneto - I

O homem que conhece a "essência adormecida"
em seu interior - que reina em toda vida
num júbilo de amor - encontra onde procura 
a dádiva da prece, a paz, serena e pura.

Ditoso, estabelece, qual força destemida,
o senso redentor, que chama e que convida,
o dom superior, que é luz que inflama e cura 
e, ao mundo, se oferece, em gáudio de ternura.

De nada mais precisa no transe deste mundo!
A fé, doce e concisa, é chama que ilumina,
é bálsamo que acalma o espírito iracundo.

E aquilo que vislumbra tal força leonina, 
no seio da penumbra, do Amor puro e fecundo,
é Luz, na própria alma, é a própria Luz Divina. 

Trissoneto - II (soneto construído com as primeiras seis sílabas poéticas de cada verso do Trissoneto I)

O homem que conhece
em seu interior -
num júbilo de amor -
a dádiva da prece,

ditoso, estabelece
o senso redentor, 
o dom superior
e, ao mundo, se oferece!

De nada mais precisa!
A fé, doce e concisa,
é bálsamo que acalma...

E aquilo que vislumbra
no seio da penumbra
é Luz na própria alma!

Trissoneto - III (soneto construído com as últimas seis sílabas poéticas de cada verso do trissoneto I)


A "Essência Adormecida"
que reina em toda vida
encontra onde procura
a paz, serena e pura,

qual força destemida,
que chama e que convida,
que é luz que inflama e cura
em gáudio de ternura.

No transe deste mundo,
é chama que ilumina
o espírito iracundo.

Tal força leonina
do Amor, puro e fecundo,
é a própria Luz Divina!

Gilberto de Almeida
25/01/2019

3 comentários:

  1. Muito lindo! Parabéns! Abraços! Adria Tristão Costa Comparini.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso seu trisoneto! Eu não conhecia algo assim. Também escrevo, se puder acesse: Divulgue sua página de autor:
    https://www.recantodasletras.com.br/autores/adriacosta. Sua prima, filha da Tosca, prima do Gilbertinho: Adria Tristão Costa Comparini.

    ResponderExcluir