Pesquisar neste blog

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

A gárgula e o cachorro bravo


Pergunto-me, incessantemente,
por que será que não consigo
fugir das garras do perigo
que insiste a invadir-me a mente.

"Orgulho", espinho persistente,
há tanto tempo já comigo,
é esse o nome do inimigo
audaz que tenho pela frente.

A gárgula e o cachorro bravo
debatem-se em feroz motim:
- É a luta que - orgulhoso!!! - travo

há eras que não têm mais fim,
em terras de quem faz-me escravo,
mas nasce, vive e morre em mim!

Gilberto de Almeida
18/12/2015



Nenhum comentário:

Postar um comentário