Pesquisar neste blog

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Santo remédio!


Tantas doenças - nem bem sei quais são! -,
tantos os males que roubam-me a calma,
furtam-me o sono na noite que espalma
negras cortinas de hostil solidão!

Beco profundo em que atiro-me em vão,
bruma soturna que envolve-me a alma!
Nada - parece - ameniza ou acalma
as ânsias tristes da triste razão!

Mas não há fonte incansável de tédio
e nem há mal que me faça refém
por infinitos tormentos de assédio:

se a dor da vida, sutil, me detém,
existe sempre este santo remédio:
- continuar trabalhando no bem...

Gilberto de Almeida
22/12/2015


2 comentários:

  1. E nele encontrar a luz que ilumina os corações...
    Deixo aqui um abraço com votos de um Natal Feliz e iluminado.
    Abraço, Gilberto!

    ResponderExcluir
  2. "Mas não há fonte incansável de tédio
    e nem há mal que me faça refém
    por infinitos tormentos de assédio..."
    Gentee, isso é extasiante!!

    ResponderExcluir