Pesquisar neste blog

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O presente

(a meu filho, Felipe de Almeida)

O meu presente em nada se compara,
meu filho, às engenhocas estupendas
que o mundo de eletrônicos das vendas
o coração, atônito, dispara!

Mas antes, teu presente, na seara
dos meus conselhos simples - pobres prendas
do espírito - se encontra; que me entendas:
é a flor dessa afeição que me é tão cara...

Pois rogo que, ante tudo que te agrade,
ajude o irmão que vive na miséria
e queiras te entregar à caridade!

Supera a tirania da matéria,
supera o egoísmo e eu te juro
que Deus será o presente em teu futuro!

Gilberto de Almeida
08/02/2013

2 comentários:

  1. Que belo presente a se dar a um filho...o poema em si mas também o conselho , algo que não se gasta pelo tempo e ao contrário só aumenta.Parabéns!
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Guaraciaba! Meu filho entendeu e gostou deste presente humilde. Fico feliz por isto!
      Abraço.

      Excluir