Pesquisar neste blog

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Menos destino, mais caminho

Resolvi não mais querer, nem perguntar
na esperança de encontrar-me cá comigo
e as respostas, quando houvesse um bom lugar,
decidi que as guardaria num abrigo.

Sem passado, sem futuro a incomodar
foi assim, pra cá do novo e além do antigo,
que as perguntas esqueci no vento, ao ar:
fiz do aqui, clamor; do agora, grande amigo!

E a procura de mim mesmo me esqueceu!
Nenhum mago, nem guru, nem adivinho
procurei para saber quem era eu.

Sem respostas, mas feliz, a andar sozinho
foi que a vida, devagar, me convenceu
a bem menos ter destino e mais, caminho...

Gilberto de Almeida
09/11/2012

2 comentários:

  1. Achei perfeito!! Tbém estou sem respostas e feliz!! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Anônimo! Sinto isso mesmo. Às vezes a gente não precisa de todas as respostas. Tem a noção de qual o caminho a setuir e vai em frente. Abraço.

      Excluir